681818171876702
Loading...

A Função da Lei


Por Pastor Edmilson

Muitos cristãos sabem que estamos debaixo da graça e que a dispensação da lei acabou. Mas, surge a pergunta: não há qualquer lei que o cristão tenha que guardar? E, se tem, com que propósito?

A lei foi dada por Deus aos filhos de Israel aos pés do monte Sinai. Sua finalidade era servir de termômetro a fim de mostrar que o homem estava enfermo pelo pecado. Desde a queda de Adão, o homem é pecador por constituição, ou seja, o pecado faz parte de seu ser. Quando falamos “o pecado”, estamos nos referindo àquela força que habita dentro do homem que o atrai a prática de atos pecaminosos. Sabemos que não é necessário o homem fazer força para pecar, pois, já existe dentro dele uma força que o atrai ao pecado. É bom que você leia todo o capítulo 7 de Romanos com atenção. Neste texto Paulo chama esta força de “lei do pecado e da morte”. É chamada de lei porque se trata de uma verdadeira regra dentro do ser humano; ninguém precisa ensinar o homem a pecar, pois ele já nasce sabendo. Paulo fala sobre o momento em que Deus deu sua lei ao povo de Israel, e o que isso provocou. Antes da lei vir, o homem já tinha o pecado dentro de si, mas ele não sabia disso. A lei veio para expor ao homem o que estava dentro dele. O pecado jazia adormecido dentro do homem até o momento em que o homem recebeu a lei e tentou guardá-la. A cobiça já estava dentro do homem, porém quando Deus deu sua lei e mandou que o homem não cobiçasse e este tentou não cobiçar, não somente ele não conseguiu não cobiçar, como também passou a ter consciência desta cobiça que estava dentro dele. Quanto mais o homem tentava não cobiçar, mais ele cobiçava. Era justamente este o propósito da lei, fazer com que o homem tentasse cumpri-la e, ao não conseguir, descobrir que há uma força dentro dele que o impossibilita viver uma vida conforme as exigências da lei. Através da lei, o homem deveria chegar ao estado que Paulo chegou e clamar: “miserável homem que sou! quem me livrará do corpo desta morte?”

É claro que não foi a lei que produziu o pecado dentro do homem. Ela simplesmente mostrou que o pecado estava lá. É como John Bunyan mostrou em sua alegoria, O Peregrino, quando Cristão chega numa casa toda empoeirada e o interprete lhe diz que aquela casa era o coração do homem e a poeira era o pecado. De repente entrou na casa uma mulher com uma vassoura para varre-la; a nuvem de poeira que se levantou foi tão grande que quase sufocou Cristão. Intérprete explicou a Cristão que aquela mulher com a vassoura na mão era a lei. A mulher com a vassoura não produziu a poeira, ela somente tornou evidente que a poeira estava lá.

E qual o benefício que isso traria ao homem? O conhecimento de que há uma força dentro de nós que nos impossibilita vivermos da forma como Deus quer nos levará a buscar o socorro de Deus e ver que somente a graça de Deus em nós é que nos possibilita vivermos a altura de suas exigências. Para que o homem procure a cura é necessário que primeiramente ele saiba que está doente.

A lei mostrou que o homem está doente e o preparou para receber o remédio de Deus que é sua graça através da obra do Senhor Jesus na cruz. Tivesse o Senhor Jesus realizado sua obra de salvação antes de Deus dar sua lei, o homem iria julgar-se capaz de salvar-se a si mesmo. A lei mostrou que a salvação teria que vir de Deus, pois o pecado impossibilitava o acesso do homem a Deus. A lei foi o termômetro que mostrou que o homem estava com a febre do pecado, para que ele pudesse buscar a cura.


"Porém agora estamos livres da lei porque já morremos para aquilo que nos mantinha prisioneiros. Por isso somos livres para servir a Deus não da maneira antiga, obedecendo à lei escrita, mas da maneira nova, obedecendo ao Espírito de Deus. O que vamos dizer então? Que a própria lei é pecado? É claro que não! Mas foi a lei que me fez saber o que é pecado. Pois eu não saberia o que é a cobiça se a lei não tivesse dito: "Não cobice”. Porém o pecado se aproveitou dessa lei para despertar em mim todo tipo de cobiça. Porque, se não existe a lei, o pecado é uma coisa morta. (Romanos 7.6-8) "


***
Fonte: Reflexões
Teologia 3015370536708989034

Postar um comentário

  1. A paz do Senhor!

    Pode contar comigo na divulgação deste blog, fico feliz em ver que há muitos que pensam como eu, abraço!

    Júnior Rubira

    www.juniorrubira.weebly.com

    www.blogespadadoespirito.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Belo texto e muito portuno num tempo em que a igreja encontra-se (tal qual a igreja de Colossos!) espremida entre o legalismo, de um lado e o misticismo de outro.
    Ou vivendo sob a pressão do que se vê, das exigências das regrinhas religiosas, ou debaixo dessa "quanto mais levitação melhor, unções, estremeliques e outros", estabelecidos como modelo de santidade e "aprovação celeste".

    Ponto final (abro aspas...).

    Já agora, querido irmão e colega Edmilson, uma piadinha... posso?
    "O Ministério da Justiça adverte alguns ai do cenário gospel: Todos, igualmente AINDA estão sujeitos às LEIS DO CÓDIGO PENAL!" Cuidado ai, rapaziada! hahahahaha...

    (Desculpe-me, mano, não resisti)!

    ResponderExcluir
  3. Olá Danilo, quero fazer uma observação:

    A Lei de Deus (leia-se lei Moral), escrita nas tábuas de pedra, pelo dedo de Deus (Êxodo 32:16) que estão na arca da aliança, no céu, conforme João "viu" (Apocalipse 11:19), não tem poder para salvar ninguém, só o que salva o homem é o sangue de Jesus pelo sacrificio que Ele fez na cruz por toda a humanidade, sem exceções. Por que a Graça é para todos. Esta Lei Moral serve apenas para uma só propósito: Mostrar ao homem onde ele está perdendo a sua salvação, dada gratuitamente pela graça de Deus

    ResponderExcluir
  4. Atos 26:29 E disse Paulo: Prouvera Deus que,ou por pouco ou por muito,não somente tu,mas também todos quantos hoje me estão ouvindo,se tonassem tais qual eu sou,exceto estas cadeias.

    Os verdadeiros discipulos de Jesus Cristo,tem sentido o mesmo que Paulo e pregado a liberdade,mesmo que estejam na condição de prisioneiros ou escravos,por causa do evangelho da Salvação Em Cristo.

    Vejo os homens e suas teorias pseudo-cristãs,algemando os verdadeiros cristãos e tirando a sua liberdade de pregar,tudo pela ganâcia ou falsa justiça.

    Mesmo assim consigo cantar e desejar que estes sejam livres em Cristo como um dia fui e tenho sido.

    Talvez alguns tenham que "cair do cavalo" para parar de perseguir ou persuadir aos homens á fazer o mal em nome de seus conceitos pseudo-cristãos.

    ResponderExcluir
  5. Prezado Danilo

    Pelo licenca a você para comentar o texto acima, em Verso e Prosa. Então lá vai bala:



    Lá dentro de mim se esconde
    Um animal perigoso.
    Está preso entre as grades,
    Por ter algo venenoso.
    Ponho guarda dia e noite,
    Pois ele é contencioso.




    Seu vil veneno entorpece
    Nos deixando estonteado.
    No sangue, o cálido desejo
    Pode ser disseminado.
    Quem não resistir a essa fera,
    Termina envergonhado.




    A mordedura desta fera
    Envenena o coração.
    Me induz a ver um argueiro
    No olho do meu irmão;
    Não deixa enxergar a trave
    Na minha própria visão.




    P’ra não expor esse monstro
    Construí uma fachada.
    Se ele mostrar suas garras
    Logo dou uma recuada;
    Lutarei contra esse instinto
    Seguindo uma tabuada.





    Na Bíblia o apóstolo Paulo
    Desigual luta travou.
    Com a fera dentro do peito,
    Ele então assim falou:
    Quando eu quero o bem fazer,
    O mal diz aqui estou.





    O que me ensina esse Livro
    P’ra domar o animal?
    Diz que eu não posso matá-lo,
    É o meu espinho carnal.
    E só então no fim dos tempos
    Deus dará fim a esse mal.

    ResponderExcluir
  6. O espírito judaizante tem causado muitos danos
    à Igreja.Paulo, escrevendo aos gálatas afirmou
    que os mesmos estavam sendo "enfeitiçados" pela pregação judaica.

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o texto.
    O autor foi bem claro e simples em sua abordagem.
    Contudo, a meu ver ele não respondeu a pergunta que ele mesmo levantou no inicio:
    "não há qualquer lei que o cristão tenha que guardar? E, se tem, com que propósito?"

    Eis uma questão que muito me interessa. Principalmente porque muito se fala da graça em nossos dias. Contudo uma graça que exclui do homem a responsabilidade da obediencia.

    Eu creio que ha uma lei sim, a mesma que foi dada por Moisés, só que agora sabemos que ela é insuficiente para a salvação. Agora não somos mais escravos desta lei, porque Cristo a cumpriu em nosso lugar e Sua justiça é imputada a nós pela fé.

    Contudo apesar de ter Cristo cumprido a lei eu não posso simplesmente ignorá-la. Não posso negar a necessidade de obedecê-la. Não posso diante da graça e da justiça pela fé simplesmente ignorar a necessidade de obediencia à lei. Obediencia nao para a salvação, mas por amor e gratidão pela salvação.

    Paulo mesmo nos diz que a fé nao anula a lei (Rm3.31)isso quer dizer que precisamos continuar sendo obedientes à lei, não por obrigação ou por ncessidade de justiça propria, mas por que cremos na justiça que procede da fé em Cristo para a salvação.

    Por isso não consinto com a graça que tenho visto em alguns lugares que ao invés de levar o pecador a uma mudança de mente e de vida apenas se faz conivente com ele ao dizer simplesmente: "Eu não te condeno" sem dizer tb "vai e não peques mais".

    Obrigado e desculpe pelo comen-post (hehe)

    Abrçs.
    Marcelo.

    ResponderExcluir
  8. Mais uma vez sou grato ao Danilo por postar um texto meu, e também a todos que comentaram. Agradeço também ao Marcelo que mostrou sua preocupação, à semelhança do Apóstolo Paulo que soube que, por ele pregar a liberdade que temos em Cristo, achavam que ele estava dizendo "façamos males para que venham bens" (Rm 3.8). Mas, a resposta está ai no final do texto: "estamos livres da lei porque já morremos para aquilo que nos mantinha prisioneiros. Por isso somos livres para servir a Deus, não da maneira antiga, obedecendo à lei escrita, mas de maneira nova, obedecendo ao Espírito de Deus" (Rm 7.6). Somos livres para, na força do Espírito de Deus, obedecermos à lei de Deus gravada, não em pedras, mas em nossos corações.
    Abração ao Danilo ao Marcelo e aos demais que comentaram.

    ResponderExcluir
  9. Pastor Edmilson, vale ressaltar o que Paulo falou logo em seguida:

    Romanos 8
    1 ¶ Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.
    2 Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte.
    3 Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne;

    Por causa dessas palavras, discordo do seu texto.

    ResponderExcluir
  10. A função da lei é condenar e a de JESUS já foi cumprida na cruz: nos libertar e nos libetou da lei do pecado e da morte.

    "... não há qualquer lei que o cristão tenha que guardar? E, se tem, com que propósito?"

    Respondendo a sua pergunta, o mandamento que JESUS nos deixou foi um mandamento de amor, cujo único propósito é o amor:

    João 13:34 Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.
    João 15:12 O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.
    João 15:17 Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros.

    ResponderExcluir
  11. Irmão Levi Bronzeado, quando eu crescer quero ser igual a você.

    Me fez lembrar das cantorias nordestinas, da emboladas repentinas e dos repentes embolados.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Comente usando a sua conta Google ou use a outra aba e comente com o perfil do Facebook

emo-but-icon

Página inicial item