681818171876702
Loading...

O bem que a Graça faz a Deus



Hermes Fernandes


Você já parou pra pensar no bem que a graça faz ao próprio Deus?


Para entender isso, precisamos antes compreender o mal que nosso pecado Lhe faz. Veja o que o próprio Deus diz por intermédio de Isaías:


“...me deste trabalho com os teus pecados, e me cansaste com as tuas iniqüidades” (Is.43:24b).


O pecado trouxe discórdia entre o homem e Deus, e afetou toda a criação. Para resolvê-lo, Deus teve que Se fazer um de nós, e arcar com as suas conseqüências. O que para nós é pura gratuidade, para Ele custou caríssimo. Portanto, não se trata de uma Graça barata.


Na seqüência da passagem, Ele diz:


“ Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro. Procura lembrar-me, entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que te possas justificar” (vv.25-26).


Ao assumir nosso lugar na Cruz, Ele passou uma borracha em todos os nossos pecados. E isso, não apenas por amor a nós, mas também por amor a Si mesmo. Ele não queria ter que carregar o peso dos nossos pecados em Sua lembrança para sempre. E ele nos desafia: “Procura lembrar-me...”

Em outra passagem, Ele afirma:


“Desfiz as tuas transgressões como a névoa, e os teus pecados como a nuvem. Torna-te para mim, pois eu te remi” (Is. 44:22).


Não há quem possa refazer o que Deus desfez. Os arquivos celestes foram totalmente deletados. E não há hacker que consiga recuperá-los. Não há backups! Perderam-se para sempre.


E se tentarmos tocar no assunto, Ele dirá: Não sei do que você está falando!


Para Deus, perdoar é esquecer: “Pois lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados” (Jr. 31:34b).


É isso que a graça faz! Apaga totalmente nosso passado, zera nossa quilometragem.


Desde o momento em que somos regenerados, os erros cometidos em nossa ignorância já não são levados em conta (At.17:30). Não interessa o quão terríveis tenham sido nossos pecados lá trás. Acabou! Já não se ouve seu eco.

Se puxarmos nossa ficha celestial, leremos: NADA CONSTA!


Mas é aí que entra em cena o acusador de nossas almas. Ele já não nos pode acusar diante de Deus, como fazia até antes da Cruz. Porém, sabe como nos acusar perante o tribunal de nossa consciência.


Sobre isso, João diz em sua epístola: “Se o nosso coração nos condena, maior é Deus do que o nosso coração, e conhece todas as coisas” (1 Jo.3:20).


Não importa a sentença proferida por nosso coração. Maior é Deus em cuja Palavra se diz que nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus (Rm.8:1). Prefiro crer no que diz a Palavra do que no que diz o meu coração, sempre enganoso e incorrigível (Jr.17:9).


O problema é que Satanás tem seus mensageiros. Pessoas estrategicamente enviadas para nos relembrar o passado. Esses acham que podem curar a amnésia voluntária de Deus. Estão tentando ocupar o antigo emprego de Satanás na promotoria celeste.


Paulo teve que lidar com o tal mensageiro de Satanás, que vinha esbofeteá-lo, isto é, jogar na cara o seu passado. Depois de orar com insistência para que Deus lhe removesse aquele espinho na carne, o apóstolo ouviu dos lábios do Senhor: “A minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Co.12:9).

A resposta é sempre a mesma: A GRAÇA!


Não temos que recorrer a sessões de CURA INTERIOR, nem nos submeter à manipulação psicológica. Nada de REGRESSÃO!


Submeter o povo de Deus a isso é o mesmo que tentar ressuscitar o velho homem. Sem contar que é um insulto ao Espírito da Graça. Um ultraje ao Sangue precioso do Cordeiro de Deus.


Infelizmente, há muitos ministérios em nossos dias que são verdadeiros ministérios de condenação. Descobriram que as pessoas são ingênuas, e quanto mais as mantiverem sob o peso da culpa, mais facilmente as manipularão.


Estão ensinando que as pessoas precisam relembrar pecados cometidos até na infância, para que sejam perdoadas e curadas. Isto é um absurdo, e um crime contra o rebanho de Deus.

Somos novas criaturas! Coisas velhas já passaram, e tudo se fez novo! (2 Co.5:17).

Só avançaremos à medida que deixarmos para trás as coisas que para trás ficam (Fl.3:13). Deus não tem prazer em quem retrocede (Hb. 10:38-39).

E mais:


Que história é essa de que temos que perdoar a Deus? Deixa disso, para com isso...
Deus jamais pecou! Quem precisa de perdão é quem peca.

Quem olha pra trás não é apto para o reino de Deus. A Graça nos convoca a focalizar naquilo que está diante de nós. Ela nos impulsiona para o futuro.

Relembrar o passado só faz distrair-nos do alvo.

Recuse-se a dar ouvidos a quem parece querer seu bem, mas no fundo, quer mesmo seus bens.



Hermes Fernandes é chapa do Genizah







Artigos 6495530452281006560

Postar um comentário

  1. É isso Hermes - O Horror do pecado, não é bem destruir os homens - isso é verdade, mas é secundário - Muitas vezes o evangelho pregado ( mesmo sem os desvios do misticismo, culto a ambição...) é descaminho, porque é tão somente antropocêntrico - voltado para o homem, seus problemas, sua dor, sua auto-estima... O pecado é pecado, não por causo do hoem, mas porque ROUVA A GLÓRIA DE DEUS. O Homem devia se a imagem desse Deus santo - foi criado para isso - mas a imagem que a criação vê no homem agora - É UMA MENTIRA. O homem, sua vida é uma mentira sobre Deus, não espelha o que Ele é, não espelha o seu caráter - não espelha sua santidade, pureza... glória! O homem foi criado para a glória de Deus. O evangelho bíblico não é centrado no homem em nenhum aspecto - SEU CENTRO É DEUS!!!

    ResponderExcluir
  2. Glória a Deus!!!
    A Graça de Deus nos basta.
    "A Graça significa que não ná nada que eu possa fazer para Deus me amar mais, e não há nada que eu possa fazer para Ele me amar menos". (Phillip Yancey)
    Alessandro Cristian
    www.alessandrocristian.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá amigo,
    é um prazer estar em seu blog e fico grata e feliz ao receber seus comentários no meu...Amei a mensagem ... Achei seu blog interessante...passarei por aqui, sempre..."A graça de Deus nos basta!"Que Deus o abençoe!Abraços,
    Dethe Martins

    ResponderExcluir
  4. Paz prezado irmão Danilo Fernandes. Grande satisfação ao ler seu comentário em meu blog, já que por várias vezes passei pela sua página, sem no entanto, deixar comentários. Tenho seguido o amigo no twitter. Obrigado pelo carinho e certamente faremos boas trocas de informações. Naquilo que puder ser útil, certamente serei.

    Shalom!

    ResponderExcluir
  5. Olá Danilo,
    Coloquei esse texto do Hermes no meu perfil do orkut, com os devidos créditos, é claro. Graça e Paz a todos.

    ResponderExcluir
  6. “ Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim, e dos teus pecados não me lembro. Procura lembrar-me, entremos juntos em juízo; apresenta as tuas razões, para que te possas justificar” (vv.25-26).

    Sempre que leio esta parte, me ponho a refletir:

    APRESENTA AS TUAS RAZÕES, PARA QUE TE POSSAS JUSTIFICAR

    A gente apronta e o Senhor ainda chama para conversar.

    DEUS, o Senhor, nos chama para a gente se justificar.

    Pode uma coisa dessa. E ainda tem gente, que tem a cara de pau de ir até DEUS, cheio de razão, como se tivesse alguma.

    Se a gente tivesse uma única justificativa, JESUS não se teria feito justiça por nós diante de DEUS.

    ResponderExcluir
  7. O conceito que os primeiros cristãos tinham da graça era diferente que a de nós. A igreja primitiva não via a graça como algo que passa por alto os pecados senão aquela que nos ensina como arrepender nos dos pecados. Veja... http://www.aigrejaprimitiva.com/dicionario/GRACIA.html

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Comente usando a sua conta Google ou use a outra aba e comente com o perfil do Facebook

emo-but-icon

Página inicial item