681818171876702
Loading...

O meme subversivo do Dr. Martin Luther King




O assassinato brutal e covarde do jovem negro Michael Brown por um policial da cidade de Ferguson no Missouri, Estados Unidos, indignou a nação estadunidense.

Em meio aos tumultos, a violência e a batalha na midia, um jornalista do Saint Louis (evangélico)  publicou uma imagem de 1963 do pastor batista Dr. Martin Luther King, conhecido pela pregação da resistência não violenta, com as mãos levantadas, como que rendido pela polícia.

Na legenda da foto: " Hands up, don't shoot, Ferunson police!"- Mãos ao alto, não atire, polícia de Fergunson!. 

O registro foi feito em um restaurante, durante as passeatas pelos direitos civis encabeçadas pelo pastor. O gesto lembrava a truculência da polícia de então para com os ativistas. 


 E foi assim que nestes  dias em que tudo o que se viu nas  redes sociais foram  celebridades vazias levando baldes de água gelada por uma causa que provavelmente nem sabem mais qual é,  que o profeta evangélico da geração dos anos 60 foi lembrado para envergonhar nossa geração vazia. 

Dr. King, novamente, foi a mosca na sopa da America. Vem lembrar  que mesmo após a nação eleger o seu primeiro presidente negro o racismo não foi extirpado da mente do homem comum.

O banho era pra que mesmo Pensei que era zoação da Lady Gaga!

O profeta verdadeiro clama por justiça, seja como pregador do Evangelho, seja como político.

Sim. 

Profeta não é para ficar dentro de igreja. 

Profeta é para as ruas. 

Profeta é pela justiça.


Pregando o fim da violência, sem usar a violência, Dr . King mostrou aos americanos a marca do verdadeiro ativismo cristão.

E, assim, um gesto de paz e humor ajudou a mudar as mentes de uma nação.

Por que no Brasil não aproveitamos esta ideia?

Imagine o efeito se o povo brasileiro começasse a levantar as mãos, como se estivesse sendo assaltado, a cada vez que cruzasse com um político pedindo votos nestas eleições?

Ia barbarizar, não é não?
 
Você não anda se sentindo assaltado?




Comportamento 2989269603059721090

Postar um comentário

  1. Eh, quando a gente pensa em termos de Brasil parece que coisa não fica cinza (só para não ser preconceituoso)... Aqui tem um racismo rasteiramente sutil, mas não vou dizer que é pior que o americano, é uma outra forma de racismo, apesar de certos tipos de tolerâncias a mais que nos EUA, tem as suas complicações e muitas dificuldades de se minorar certas estranhamentos entranhadas nas mentes e corações das pessoas. É claro que vez por outra tem aqueles racismos descarados, mas o mais comum é o velado em várias versões. Lá como aqui, um dos mais evidentes é o comportamento da polícia (desde os tempos do capitão do mato). Só para lembrar, quando se aborda um grupo de várias pessoas adivinha que são os primeiros suspeitos? São os negros, enquanto que os outros muitas vezes não são revistados... Já passei por este esquema numa revista de ônibus e quando fui parado em uma blitz na rua. Quando a polícia sobe o morro (qual é a maior parte da população?), armados até os dentes, trás a bala perdida, e de quebra, casas arrombadas e se o morador for enfrentar este tipo de situação opressora, apanha ou vai para vala... quais são a maioria de jovens que fazem da estatísticas da violência no nosso país?? No Brasil onde a maior parte da população é descendente de negros as referências no dia a dia são invisivelmente abismais nos vários setores (bem parecido com a cidade de Ferguson que tem quantidade de brancos maior na polícia do que de negros, com uma população maior de negros), se faz tudo para não lembrar da onde viemos, quem somos e nos fazem pensar que somos europeus ou americanos brancos... ridículo, e não somos... Já olhou pra você?! É só dar umas olhadinhas na TV, um exemplo bem visível em que o negro em menor número ou sem, passa por invisível como se quisesse esconde-lo, e tá na cara nos anúncios de propaganda, nas novelas, nos filmes e em muitos outros programas como se a sociedade fosse com um seguimento só , fugimos do que somos, e isso na mente das pessoas é um estrago danoso para desintoxicar, e é um condicionantemente racista e um meio de dominação muito bem articulado. Como disse, isto é só um entre vários exemplos de condicionamento que induz a todos nós, existem outros. O nosso povo é muito atrasado em muitas coisas, mas uma sociedade onde existe muitas injustiças, faz daqueles cidadãos que estão a margem ficarem muito mais oprimidos, espoliados e desrespeitados sem dúvida nenhuma. E na base da pirâmide desta nossa sociedade cheia de abismos sociais estão os negros. Sei que o racismo (e o preconceito) não irá acabar, porque todo ser humano tem em menor ou maior grau, estamos num mundo onde a natureza humana é imperfeita, constatado isso, devemos ter consciência do que não é bom p’ra mim não será bom para o meu próximo, já dizia Jesus.

    ResponderExcluir

ATENÇÃO: Comente usando a sua conta Google ou use a outra aba e comente com o perfil do Facebook

emo-but-icon

Página inicial item